© 2018 - O Plano Real - Consultoria Financeira

  • Frederico Silva

Viver com menos do que ganha: uma das chaves para acumular riqueza

Atualizado: 8 de Jul de 2018

Acumular patrimônio e riqueza é muito, mas muito mais simples do que se pode imaginar. Só que tem um pequeno problema: leva tempo. E infelizmente a maioria das pessoas está a procura de fórmulas fáceis para alcançar resultados extraordinários em pouco tempo. É assim com o dinheiro e é assim com a perda de peso também.


Para pra pensar: o que as pessoas com uns quilinhos a mais estão sempre procurando? Aquela dieta milagrosa para perder tantos quilos em 1 semana. Ou aquele aparelho que te faz perder tantas calorias sentado no sofá assistindo TV. Agora pergunta se a pessoa está disposta a acordar todos os dias de manhã cedo para correr, nadar, pedalar… Pergunta se ela realmente está disposta a mudar completamente os hábitos alimentares…


No acúmulo de riqueza é a mesma coisa. A maioria das pessoas está procurando uma fórmula mágica de ganhar dinheiro fácil, rápido, sem muito esforço. Mas em nenhum momento passa pela cabeça delas fazer o que realmente poderia torná-las ricas: ajustar o seu padrão de vida, viver com menos do que ganha e investir a diferença de forma inteligente, sistemática, ao longo dos anos.


Aí aparecem aqueles famosos comentários: “Aquele ali nasceu em berço de ouro! Aí é fácil ser milionário…”. Ou então: “Pra você é fácil, pois você ganha bem…”. Na minha opinião, estes são típicos comentários de quem está procurando desculpas para sua própria incapacidade de gerir seu dinheiro. A pessoa não está disposta a fazer nada de concreto para mudar sua própria vida e opta por buscar explicações para a sua situação.


Este aí com certeza vai ser milionário!

O fato é que todo mundo que hoje possui liberdade financeira (ou quase todo mundo, pois uma pequena parcela realmente nasceu em berço de ouro) começou de algum ponto. As pesquisas mostram cada vez mais que a grande maioria que chegou nos 7 dígitos foi construindo seu patrimônio aos poucos e levou tempo para chegar lá.


Uma pesquisa feita em 2012 pela Fidelity Investments, mostra que 86% dos milionários americanos construíram seu patrimônio por conta própria (5th Fidelity® Millionaire Outlook) e quem já leu “O Milionário Mora ao Lado”, de Thomas J. Stanley, William D. Danko, um dos excelentes livros que listo no post Recomendações de livros, blogs e sites sobre finanças, vai conferir outros dados que confirmam isso.


Num dos capítulos deste livro, chamado “Frugal, frugal, frugal”, os autores colocam esta como uma das características recorrentes dos “Self-made Millionaires” (milionários por conta própria): Eles vivem muito abaixo dos seus meios, ou seja, vivem com (muito) menos do que ganham.


Mas por que é tão difícil para as pessoas viverem com menos do que elas ganham? Porque as pessoas querem viver uma vida que elas não podem bancar financeiramente. Querem morar numa casa que não podem pagar, ter um carro que não conseguem manter e por aí vai… Não tenho nada contra desejar coisas boas, ambicionar as melhores coisas da vida. Mas tornar a antecipação destes prazeres uma prática recorrente custa extremamente caro e é uma das raízes dos problemas financeiros da grande maioria.



Junte a tudo isso uma doença crônica que assola uma parcela significativa da população mundial: o analfabetismo financeiro. As pessoas não entendem (e, aparentemente não fazem nada para procurar entender…) o que eu chamo de “mecânica do dinheiro”, menosprezam o efeito espetacular dos juros compostos, ignoram os efeitos nocivos do “pagar parcelado”, não se interessam por investimento em valor.


Nós somos doutrinados desde pequenos a ignorar tudo isso porque é justamente desta ignorância coletiva que o sistema financeiro funciona. Você acha que o Itaú Unibanco fechou o balanço de 2016 com quase 5 bilhões de dólares de lucro líquido porque a maioria poupa e investe ou porque a maioria usa dinheiro emprestado?!



O resultado disso tudo:

1. Pessoas passando suas vidas sem realizar seus sonhos;

2. Pessoas com dificuldades financeiras na velhice, desiludidas e dependentes de aposentadoria de governo;

3. Pessoas chegando ao final da vida sem nada, apesar de terem gerado verdadeiras fortunas durante sua vida ativa.



O fator número 1 para determinar seu acúmulo de riqueza é o quanto você poupa por mês. Nada vence isso no longo prazo. Nada.

Até porque para investidores amadores como todos nós, não existe investimentos fáceis com retornos espetaculares. Isso é pura ilusão.


Portanto se você quer ter tranquilidade financeira hoje e no futuro, faça o seguinte:

1. Ajuste seu padrão de vida, cortando todos os gastos supérfluos;

2. Controle suas finanças e certifique-se de que você gasta menos do que ganha;

3. Invista o dinheiro que sobra todo mês de forma inteligente e sistemática.




Agora, se acha que é muito difícil fazer isso, você tem a opção de escolher em que fatia do gráfico abaixo vai colaborar com a estatística:



Espero que gostem deste artigo e que ele tenha adicionado valor a vocês. Até a próxima!

17 visualizações