© 2018 - O Plano Real - Consultoria Financeira

  • Frederico Silva

Quero investir. Como começar?

Atualizado: 8 de Jul de 2018

Recentemente um colega de trabalho me perguntou: “Fred, quero investir mas não tenho ideia sobre como começar. O que devo fazer?” Percebi um desejo genuíno da pessoa em querer aprender e me lembrei de vários outros casos de pessoas com este mesmo desejo, mas que também não sabiam o que fazer.


Antes de começar a falar sobre o assunto, acho que cabe responder a uma outra pergunta: Pra que investir? A resposta pode parecer meio óbvia pra muita gente, mas pela minha experiência, vale a pena responder. Fico cada vez mais surpreso com a indiferença das pessoas em relação ao poder dos investimentos. Ainda mais hoje em dia, onde tudo é tão fácil, transparente e acessível.


Encorajo todos a investir para ter liberdade, segurança e tranquilidade. A vida é repleta de problemas e desafios, isso é normal e inevitável, então o que der pra fazer para eliminar ou ao menos minimizar estes problemas, que se faça! Investir te ajuda a resolver um dos que assola a grande maioria das pessoas: problemas financeiros.


Quem nunca ficou meio sem dinheiro? Quem nunca atrasou as contas por alguns dias? (meses, anos?!) Usou o famoso cheque especial e parcelou a fatura do cartão de crédito pagando juros exorbitantes? Eu mesmo já passei por tudo isso, num passado bem distante…


Este mesmo colega também me perguntou: “Por que você resolveu começar a investir?” Essa foi fácil responder. Eu sempre fui fascinado pela ideia de ganhar dinheiro sem fazer nada. Ou quase nada. Não me entendam mal! Não sou preguiçoso! Eu gosto de trabalhar e, na verdade, acredito que o trabalho dá um propósito para as nossas vidas, como comentei neste outro post sobre Independência Financeira. Mas bom mesmo é poder trabalhar com o que te dá mais prazer, sem se preocupar com contra-cheque no final do mês.


Mas voltando à questão inicial: Como começar? Você pode fazer como eu e sair tentando na marra, aprendendo com os próprios erros e perdendo muito dinheiro ao longo do caminho até aprender… Ou você pode ser mais inteligente e seguir algumas recomendações de quem já percorreu um longo caminho de erros e acertos:


1) Estude!

Não tem caminho fácil! E não tem almoço de graça. Uma vez eu li uma frase que dizia: “Se você quer se destacar da maioria em qualquer coisa, vai precisar se dedicar mais do que esta maioria”. Creio que o conceito se aplica bem aqui. Se não está disposto a fazer isso, coloca o dinheiro na poupança (se é que vai haver algum), fica o resto da vida trabalhando para os outros e pagando contas.


Para estudar o assunto leia livros, pesquise na internet, faça cursos, procure blogs como este e participe ativamente. As opções são vastas e aprender vai depender apenas de você e do seu esforço. Na era da internet, qualquer um pode aprender qualquer coisa.


Neste post eu listei várias recomendações de livros, blogs e sites que fizeram toda a diferença para mim ao longo dos anos. Acesse a lista, selecione a fonte e aproveite!


2) Selecione bem suas fontes e cuidado com a mídia de massa

Este ponto é muito importante. A mídia de massa é destrutiva no que diz respeito a investimentos. Pelo menos a grande maioria dela. Portanto selecione muito bem as suas fontes e fuja de tudo o que te incentiva a “girar dinheiro”.


Se você começar a ler uma matéria sobre investimentos que te recomenda a tirar dinheiro de um lugar e colocar em outro, ficar girando seu patrimônio, comprando e vendendo os ativos financeiros na ilusão de que você vai ganhar na variação de preços, ligue um sinal de alerta.


O incentivo ao giro de patrimônio é disseminado largamente, mas no fundo só beneficia o governo (com o pagamento de impostos) e os intermediários (com o pagamento de taxas, encargos, corretagem, etc.)


Deixe o seu dinheiro quieto, alocado em ativos financeiros de VALOR.

Deixando o dinheiro quieto, você dá chance dos juros compostos agirem e te trazerem retornos espetaculares no longo prazo.



Mas o grande problema é que no começo o resultado é lento, pois você começa investindo pouco dinheiro. Aí as pessoas perdem a paciência e acabam tirando o dinheiro de um lugar e colocando em outro, na ilusão de que vão ganhar mais com isso. Realizam lucros pequenos, pagam impostos e taxas o tempo todo e impedem a ação dos juros compostos. Ou o que é pior: Acabam gastando tudo numa “prioridade” que aparece do nada. Por isso o próximo ponto é tão importante.


3) Seja disciplinado e tenha paciência

Se você conseguir colocar na cabeça que não tem como ganhar dinheiro fácil e rápido, você já está na frente da grande maioria. Tudo bem, tem uns casos extraordinários como ganhar na loteria, herdar uma herança ou sei lá mais o que. Mas você não pode trabalhar com a exceção. Se ela acontecer, ótimo, mas enquanto não acontece, trabalhe com a regra geral e coloque as probabilidades ao seu favor.


Vou explorar mais este ponto em posts futuros, dada a sua importância, mas é preciso entender que o que vai te deixar rico mesmo é se dedicar ao seu trabalho, gastar menos do que você ganha, não ter dívidas, poupar e investir todo mês de forma diversificada e em ativos de valor. Pronto. Só isso.


Nada determina mais o seu enriquecimento do que o quanto você poupa e investe todo mês. Nada.

Você pode inventar o que quiser, mas se poupar mais e investir bem, vai acumular muito mais patrimônio no longo prazo.


Muitas vezes é necessário mudar um pouco o estilo de vida para gastar menos do que ganha, ser disciplinado para seguir firme no plano e ter paciência, porque longo prazo significa vários anos e não alguns meses.


O Sr. Buffett fala aqui do mercado acionário, mas o comentário serve perfeitamente para investimentos de modo geral.


4) Faça tudo devagar e não movimente grandes somas de uma vez

Você tem toda a vida em frente. Anos e mais anos para aprender, investir com calma e se beneficiar dos juros compostos. Então vá com calma. Evite movimentar grandes somas de dinheiro de uma só vez, caso se depare com esta situação. Neste caso, coloque tudo numa poupança (isso mesmo, numa poupança!) e vá movimentando aos poucos. Pequenos movimentos vão gerar pequenos erros, caso eles ocorram. Aqui o tópico 3 volta a mostrar sua importância. Tenha paciência!



5) Indo para a prática: abra uma conta numa corretora financeira e comece a investir!

Coloca “corretora financeira” no Google, procure o que é melhor para você e abra uma conta. Tire o seu dinheiro de investimentos do banco, que normalmente só oferece coisa boa para o próprio banco. No início, escolher uma corretora pode ser confuso, pois existem inúmeras opções no mercado brasileiro hoje em dia. Mas pesquise, entre em sites que fazem comparações práticas entre as principais instituições, acesse os sites das próprias corretoras e conheça suas vantagens / desvantagens. Se ao final de tudo isso ainda estiver em dúvida, entre em contato comigo que te dou uma ou duas boas recomendações.



Depois de abrir a conta na corretora, transfira os seus recursos para lá e comece a investir. Para quem está começando, recomendo entrar devagar em ativos de renda fixa (Títulos públicos do Tesouro Direto ou Fundos de Renda Fixa, por exemplo), enquanto vai decidindo e aprendendo. Com o tempo, vai pegando todo o “dinheiro novo”, aquele que você poupa todo o mês já que gasta menos do que ganha, e vai alocando em outros ativos, inclusive de renda variável (Ações, Fundos de Investimentos Imobiliários, etc.).


Neste estágio, você já deve ter mais segurança do que está fazendo, pois vai ter seguido as recomendações acima, como estudar e ter paciência. E até lá, terei publicado novos posts sobre como construir uma carteira de investimentos e como identificar o valor dos ativos financeiros.


Neste meio tempo, tire suas dúvidas, participe das discussões e fique ligado nas novidades do blog O Plano Real!


Obrigado e até a próxima.

26 visualizações